2017

2014

“Samsara” em sânscrito significa "seguir em frente". Nas culturas hinduístas, budistas e jainistas, o vocábulo representa o ciclo de morte e renascimento, da transitoriedade e inquietação de nossa existência. É por meio do Samsara que podemos renascer, até chegarmos à iluminação. No budismo, a impermanência dos pensamentos também pode ser entendida como manifestações efêmeras do Samsara, em que os pensamentos morrem e renascem continuamente. Assim também é na vida, em que transitamos de momentos de inquietação para os de tranquilidade, de consciência para inconsciência.

A morte pode acontecer em vários momentos da vida. Todos morremos diversas vezes quando oscilamos de sentimentos, ou mudamos de cidade, emprego, ou mesmo quando mudamos nossas rotinas, hábitos ou ciclos. Mas por outro lado, esse processo permite renascer outras vezes. A vida contemporânea exige rotinas, ritmos e focos que nos fazem perder outras oportunidades que nossa existência nos permitiria. Acredito que podemos renascer em cada movimento e atitude, e as imagens mostram a força que uma ação pode ter sobre nós e como isso se espalha pelo mundo. A imagem representa então, o desprendimento desse ciclo contemporâneo e a mudança que podemos fazer em nossas vidas.

Para mostrar essa força do corpo e da mente, foi construído um cenário de infinitude, representando o universo em sua origem, de forma que remeta imageticamente ao Big Bang, cuja grande explosão aqui apresentada, origina uma pessoa. O atleta, apesar do esforço, está sempre em movimentos e poses fetais.  A explosão e cores, em todas as suas nuances, mostram a energia e a beleza desses movimentos. Para criar esse efeito, utilizou-se o pó do festival Holi, que simboliza o renascimento da vida com a chegada da primavera e remete à cultura indiana.

A série foi iniciada em 2014 com artistas de circo e atletas e em 2017 continuada com dançarinos.

2014:

André Leão Fonseca

Beatrice Martins

Daniel Lacourt

2017:

Ana Júlia Paiva

Bárbara Albuquerque

Renato Fernandes

Vitor Hamamoto

 

Apoio:

Zim Color

Kor Crossfit

Gabriel Ribeiro Fotografia
 

Samsara in Sanskrit means “a wandering through". In Hindu, Buddhist and Jain cultures it represents the cycle of death and rebirth, which takes people from one life to the next one, the transitory nature and the uneasiness of the worldly existence. It is through Samsara that we can learn and be reborn until we reach illumination. In Buddhism, the impermanence of thoughts can also be understood as short Samsara moments, in which thoughts die and are reborn all the time, as in life, in which we go from moments of uneasiness to moments of tranquility, from awareness to unconsciousness.

 

Death can happen in different moments of life; we all die several times – when we change feelings, we change cities, jobs, our daily habits and circles, we can die several times. Therefore, we can be reborn several times. Contemporary life demands a certain rhythm, routine and focus which make us lose the other opportunities allowed by our existence. I believe we can be reborn in each movement and act, and the images show the power one action can have on itself and how that power can spread throughout the world. The image thus represents the detachment of this contemporary cycle and the change we can make in our lives.

 

The universe in its beginning and an image that recalls the big bang, the great explosion, but having a person in its birth. The athlete is always in movements and poses which are almost fetal, despite the effort. The explosion shows the energy of this movement in its colors and beauty, having the like In order to show that strength, both of the body and the soul, scenery of infinitude has been constructed, powder of the Holi festival been used for that, also symbolizing the rebirth of life with the advent of spring, referring to the Indian culture.

 

Artists involved:

 

 

2014:

André Leão Fonseca

Beatrice Martins

Daniel Lacourt

 

 

2017:

Ana Júlia Paiva

Bárbara Albuquerque

Renato Fernandes

Vitor Hamamoto

 

Support:

Zim Color

Kor Crossfit

Gabriel Ribeiro Fotografia